sexta-feira, 23 de julho de 2010

Calopsitas - Sementes ou Ração ?

Os fatores mais importantes a serem considerados na nutrição de sua calopsita é a estabilidade e ao mesmo tempo a variedade dos alimentos.

A todo momento sua calopsita certamente irá tentar impor o que gosta e o que não gosta de comer diante de uma variedade de alimentos e isso nem sempre é o ideal . Neste ponto você pode e deve controlar o que seu animal vai comer, evitando exageros e forçando um ou outro alimento ao invés de oferecer somente o que “a ave gosta”.

Sua ave é como uma criança que tende a escolher e comer (em grande quantidade) somente aquilo que gosta. Esta “seleção” dos alimentos gera desequilibrios, pois de nada adianta uma grande quantidade de alimentos variados se não há nenhum controle. Com certeza, o filho de ninguém cresceu saudável comendo apenas sorvete e outras sobremesas.

A formação dos hábitos alimentares é muito importante e começa muito cedo. É comum uma calopsita aceitar novos alimentos apenas após algumas tentativas e não nas primeiras. O que pode parecer rejeição aos novos alimentos é resultado do processo natural em conhecer novos sabores e texturas.

Ao servir vegetais, opte por servir em pequenas quantidades, picado, desfiado ou em pedaços muito pequenos, isso vai motivá-los. Mais uma vez fazendo analogia, a sua ave assim como uma criança, no inicio brincam com o alimento e somente depois descobrem que também podem comê-los. Esta "fase" realmente é cheia de desperdício, vários alimentos serão jogados fora.

Para se chegar ao ideal, há a necessidade de controle dos nutrientes, pois oferecer vários alimentos, em quantidades exageradas, não garante uma boa nutrição. Grande variedade sem o devido controle gera carência especificas de um lado e exageros de outro, e infelizmente é assim que muitos proprietários criam suas aves.

Afinal: SEMENTES ou RAÇÂO?

Este tem sido um assunto controverso entre os proprietários de calopsitas e inúmeras duvidas chegam na clinica diariamente. A resposta para esta questão esta justamente no controle sobre o que a ave come (Em qual proporção e qual alimento).

Neste ponto as rações ganham em disparado, pois cada pellet de ração é completo, ou seja, não há a necessidade de comer uma combinação de “coisas” para se alcançar o balanceamento ideal. Estamos falando de boas marcas de ração, pois há rações no mercado que são totalmente contraindicadas e devem ficar longe de seus animais.

No caso da mistura de sementes, isso não ocorre. Há a necessidade de que a ave coma uma combinação a fim de se chegar ao balanceamento ideal. E exatamente ai que reside o problema.

A maioria dos proprietários acham os médicos veterinários radicais por indicarem somente a ração e ignoram o fato de que estas aves escolhem sua comida. Optam por oferecem às aves grandes e inúmeros comedouros, cheios até a boca de mistura de sementes, farinhadas e outros complementos. Um variedade exagerada de “guloseimas”, que facilita a “escolha” do alimento pela ave. Uma variedade de sobra para comer somente o que deseja e toda a estabilidade da dieta desaparece.

Ou seja, e no final quem escolhe o que come é a ave e não o proprietário. Isso quando o proprietário na ânsia de oferecer “variedade” não opta por comprar inúmeras marcas de ração e oferece ao mesmo tempo, estragando todo e qualquer balanceamento da ração.

Vale lembrar que os seres vivos, no geral, são geneticamente programados para se alimentar e gostar de alimentos calóricos e gordurosos. A procura por estes alimento faz parte do instinto de sobrevivência e não é racional e muito menos equilibrada. (Isso explica o porquê praticamente todo mundo gosta de doces e frituras... risos).

Em vida livre, estes alimentos (extremante calóricos e gordurosos) são raros, por isso as aves tendem a comer o máximo possível destes alimentos a fim de garantir sua sobrevivência. Este instinto não se perdeu na vida em cativeiro. O que temos hoje são aves obesas e ao mesmo tempo mal nutridas, assim como muitas pessoas.

Resumindo, alimentações com mistura de sementes, farinhada e complementos, embora variada não é estável do ponto de vista nutricional e sua utilização certamente acaba desenvolvendo carências ou exageros nas aves.

Nota: Suplementar com vegetais é muito mais interessante do que farinhadas e fontes de minerais e vitaminas. Procure variar entre cores, cheiros e sabores!

Dica: Lave todas as frutas e legumes que irá servir. Certifique-se de lavar bem, limpando todos os vestígios de pesticidas e outros produtos químicos. Cuidado com a utilização de imersão em água clorada, caso utilize, enxágüe muito bem com água corrente antes de utilizar.

2 comentários:

Aline disse...

Olá!
Eu tenho uma calopsita e ela comia mistura de sementes.
Quando fiquei sabendo que fazia mal, no começo misturava a ração às semestes até ficar só com a ração, porém minha calopsita não come a ração e fica reclamando o dia todo.
Fico com medo dela morrer de fome...
Ela também não come frutas, legumes ou verduras, nada que é molhado.

Gostaria de saber qual o certo a fazer.

Grata, Aline

Wildvet Clinica Veterinaria disse...

Oi Aline,
Recomendamos que a mudança de alimentação seja realizada progressivamente, em um período de 1 mês. Na primeira semana vc coloca 75% semente + 25% ração; na segunda 50% e 50%, na terceira 25% de semente e 75% ração e na última 100% ração. Deve-se jogar fora o conteúdo do pote todos os dias (sem reposição) e enchê-lo novamente para manter a proporção. No início muita ração será jogada fora, mas isso é normal. Assim ela vai aprendendo que a ração é comida e, ficando cada vez mais com fome, ela não terá opção senão comer a ração. É só não ter dó!